Montecarlenses participam de Palestra em Campos Novos com Oscar Schmidt

Criado com a finalidade de aproximar os cidadãos catarinenses do Parlamento, o “Encontros com a Assembléia” chegou à quinta edição. Na noite de Quarta feira (15/10) o prefeito Marcos Siqueira e vários funcionários do executivo, legislativo e comunidade montecarlense participaram em Campos Novos da palestra proferida no programa “Encontros com a Assembléia”, pelo ex-jogador de basquete Oscar Schmidt que falou sobre Desafios e Superação, destacando cinco valores aos quais baseia sua vida e sua carreira.  Oscar comentou sobre Visão, Decisão, Time, Obstinação e Paixão, todos os conceitos foram usados para falar de sua historia para um publico de mais de mil e duzentas pessoas.

Trajetória profissional
Oscar é considerado uma dos maiores nomes do basquete mundial, com mais de 40 mil pontos registrados em toda a carreira. Neste ano, passou a integrar o Hall da Fama da Federação Internacional de Basquete. Na seleção brasileira, disputou cinco olimpíadas (Moscou-1980, Los Angeles-1984, Seul-1988, Barcelona-1992 e Atlanta-1996) e venceu os Jogos Pan-americanos de Indianápolis (EUA), em 1987, batendo a seleção norte-americana na final, naquela que é considerada uma das maiores conquistas do basquete nacional. Após se retirar das quadras, atuou como dirigente esportivo e comentarista esportivo.

Visão
A decisão de se tornar palestrante foi descrita por Oscar como uma das grandes visões da sua vida. “Foi um momento muito difícil. Aos 45 anos de idade acabou a minha carreira. Não me formei, não fiquei rico e não queria ser técnico. Então resolvi: vou fazer palestras, mas vou ser bom”, falou. Desde 2003, ele já contabiliza 672 palestras. “A primeira foi um desastre, não sabia me comportar, era cheio de vícios de linguagem. Fui me aprimorando e quero ser o melhor palestrante do país. Enquanto não for, não vou sossegar”.

Decisão
Conforme Oscar, as decisões tomadas na carreira foram fundamentais para que se tornasse um atleta bem-sucedido.  Um exemplo foi quando resolveu deixar Brasília para jogar em São Paulo, o que contribuiu para que fosse convocado para a seleção juvenil e depois a principal. “Mas eu precisava evoluir. Foi quando decidi ir para a Europa, onde fiquei por 13 anos”, contou.

Time
Casado com Cristina há 38 anos e pai de dois filhos, Felipe e Stephanie, Oscar reconheceu que o apoio da família, em especial da esposa, foi determinante para que ele pudesse se dedicar ao basquete. “É o grande time da minha vida. A Cris me acompanhou desde o início da carreira, ajudou nas horas mais difíceis, fez de tudo para que eu pudesse me concentrar para treinar e me tornar um bom jogador. Só consegui isso porque a tive do meu lado”, ressaltou.

Obstinação
A trajetória de Oscar é marcada pela obstinação, valor que, segundo ele, caminha ao lado da determinação e envolve ousadia, confiança e coragem. “Eu treinava cerca de oito, nove horas por dia. Ninguém nasce corajoso, mas pode se tornar. Quanto mais você treina, mas coragem tem. E toda pessoa obstinada é persistente, quer ser melhor”, salientou. Para ele, o segredo do sucesso é treinamento. “Sonho sem treinamento é uma perda de tempo. Tem que treinar, o resto é conversa fiada. Só assim você pode ser o melhor. Não é sorte nem milagre, eu treinei muito”.

Paixão
O Mão Santa declarou sua paixão pela seleção brasileira, que integrou por 24 anos, sendo quatro no juvenil e 20 no adulto. “Defender o seu país é o que há de mais importante para um atleta”, disse Oscar, que marcou 7.693 pontos pela seleção e se transformou no maior nome do basquete nacional.

Ele também relembrou o momento mais marcante da carreira, a conquista da medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos de Indianápolis, em 1987, na vitória histórica de 120 a 115 sobre os Estados Unidos. “É algo inesquecível. Foi a vitória mais incrível do Brasil. Nenhuma equipe havia vencido os americanos dentro de seu território e nunca ninguém havia feito mais de cem pontos contra uma seleção norte-americana”.

Exemplo
A principal mensagem transmitida por Oscar é que, com dedicação e treinamento, qualquer um pode se tornar um vencedor. Ele apresentou como exemplo a história dos meninos do Jardim Ivone, em Ponta Porã (MS), que, incentivados por um professor de Educação Física transformaram um terreno baldio em quadra de basquete e, mesmo sem estrutura, foram vice-campeões estaduais. “Todos nós, cidadãos de bem, temos o dever e a obrigação de tentar fazer mais e melhor todos os dias, assim como esse professor e essas crianças”, concluiu.

Na platéia, o estudante Carlos Corrêa de Sousa, de 15 anos, assistiu atentamente à palestra do ídolo e, ao final, conseguiu um autógrafo na camisa do time de basquete que treina todos os dias, na Escola Gasparino Zorzi, em Campos Novos. “Ele é um cara muito especial, é um exemplo de vida para mim. Vou guardar a camisa como recordação”, disse emocionado.

Novos encontros
Depois de Campos Novos, outras cidades receberão palestras do programa. As datas, os locais e os palestrantes serão divulgados em breve pela Assembléia Legislativa. A participação é gratuita, sendo necessário apenas se inscrever antecipadamente no site do Legislativo catarinense (www.alesc.sc.gov.br/encontros).

 

Fonte: Ludmilla Gadotti
AGÊNCIA AL

Este edital possui conteúdo protegido pela LGPD, para obter acesso abra uma requisição aqui